Acesso Rápido

A pastoral universitária é aquela atividade da UNIVERSIDADE que oferece, aos membros da própria comunidade, a ocasião de coordenar o estudo acadêmico e as atividades para-acadêmicas, com os princípios religiosos e morais, integrando, assim, a vida com a fé (JOÂO PAULO II, 1990, art. 38).
Por Pastoral entendem-se as diversas atividades em vista da humanização e da construção do bem comum. O termo em si é próprio das ciências teológicas e significa de modo latu a realização de ações coordenadas e sistematizadas em comunidades cristãs numa relação de diálogo e reciprocidade.
A criação do que hoje se conhece como Universidade tem origem na Idade Média, com a Universidade de Bolonha, Itália, no ano de 1150. Sua função inicial foi realizar estudos avançados em Teologia e Filosofia, porém, ainda muito ligado ao aspecto religioso da autoridade eclesial católica (GOERGEN, 1998).
A partir do início da Modernidade, a ciência foi vista como uma forma de acessar a realidade, iniciando um processo de inserção junto às Universidades, de modo geral. Elas foram aos poucos incorporando esses saberes práticas e úteis ao mundo laboral. O catolicismo, por sua organização abrangente, esteve na vanguarda no desenvolvimento das Universidades, o que exige na sua razão de ser enquanto atividade católica esteja presente nos espaços universitários (GOERGEN, 1998).
Em instituições católicas surge a Pastoral tal como acontece em outros serviços, uma vez que
A palavra pastoral, na tradição cristã, faz referência ao ‘bom pastor’, a figura emblemática da parábola de Jesus (Jo. 10, 1-18). Na atitude do bom pastor de ‘dar a vida pelas suas ovelhas’, como fez Jesus, a Igreja e os cristãos encontram inspiração para agir em conformidade à mensagem do Evangelho (JULIATTO, 2009, p.32).
A fim de não gerar contradições ou estranhezas tanto para a cultura acadêmica e científica, como em relação à legitimidade de sua presença dentro de uma IES, a Pastoral propõem-se a ser mais do que simplesmente um serviço, mas “[...] uma forma especial de viver e de difundir o ensinamento cristão do amor, do respeito à dignidade da vida humana, da atenção aos que sofrem, da fraternidade, da justiça social e do compromisso pessoal com a verdade. ” (JULIATTO, 2009, p.32).
Propor atividades pastorais a uma Instituição de Ensino Superior, sejam elas Universidades, Centros Universitários e Faculdades, tem uma perspectiva de evangelizar por meio da educação, por em última instância, a ação pastoral ecumênica é a razão de ser das instituições nomeadas como tal.
A Faculdade Murialdo (FAMUR) entra nesse espaço com o diferencial de ser a única instituição católica de Ensino Superior da Serra Gaúcha, por isso, sua missão é evangelizar por meio da educação. Tal como descreve em sua missão e visão, a FAMUR busca a educação humanizadora, que representa toda a construção de um mundo mais justo, sustentável, responsável, ético e solidário.
A pastoral na FAMUR tem a sua base numa atuação conjunta com toda a comunidade acadêmica, desenvolvendo-se por meio do Ensino, da Pesquisa e da Extensão, pilares já consolidados do Ensino Superior. A atuação da Pastoral não é ser simplesmente um serviço, mas a própria razão de ser da instituição.

 

 

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
CHAUÍ, Marilena. Escritos sobre a universidade. São Paulo: Unesp, 2001.
CONSTITUIÇÃO PASTORAL GAUDIUM ET SPES. Documentos do Concílio Vaticano II. São Paulo: Paulus, 1997.
GOERGEN, Pedro. Ciência, sociedade e universidade. Educação e sociedade, v. 19, n. 63, p. 53-79, 1998.
JOÃO PAULO II. Constituição Apostólica “Universidades Católicas” (15-8-1990). São Paulo, Paulinas, 1990. (Col. “Voz do Papa”, n. 124) art. 38.
JULIATTO, Clemente Ivo. Pastoral Universitária: a Universidade Católica a serviço da Evangelização. In: Revista de Pastoral da ANEC. Brasília: ANEC, vol.01, n.01, 2009. p. 31-48.
UNESCO. Tendências da Educação Superior para o Século XXI. Brasília: UNESCO-CRUB, 1999.

Mapa do Site